sexta-feira, 31 de julho de 2015

E-mail por engano


quarta-feira, 29 de julho de 2015

segunda-feira, 27 de julho de 2015

Máquina Apanha Gatunos

Nos EUA fabricaram uma máquina que apanha gatunos.

Testaram-na em Nova York e em 5 minutos apanhou 1500 gatunos.
Levaram-na para China e em 3 minutos apanhou 3500.
Na África do Sul em 2 minutos apanhou 6000 gatunos.

Trouxeram-na para Portugal e num minuto, roubaram a MÁQUINA!

sábado, 25 de julho de 2015

Incentivo à natalidade

A confusão que uma conclusão precipitada pode causar. Em um determinado país foi criado um programa de incentivo à natalidade, pois o número de habitantes estava a cair e a proporção de idosos crescia assustadoramente. 
A necessitar de mão-de-obra, o governo decretou uma lei que obrigava os casais a terem um certo número de filhos. Previa também uma tolerância de cinco anos após o casamento, fim dos quais, o casal deveria ter pelo menos um pimpolho. 
Aos casais que no fim do prazo não conseguissem ter um filho, o governo destacaria um agente auxiliar para que a criança fosse gerada. 

Neste cenário deu-se o seguinte diálogo entre um casal: 

MULHER: Amor, completamos hoje 5 anos de casamento! 
MARIDO: É... Querida e, infelizmente não tivemos um filho sequer. 
MULHER: Será que eles vão mandar o tal agente? 
MARIDO: Não sei... Talvez mandem. 
MULHER: E se ele vier? 
MARIDO: Bem, eu não posso fazer nada. 
MULHER: E eu, menos ainda... 
MARIDO: Vou sair, já estou atrasado para o trabalho. 

Logo após a saída do MARIDO, bateram à porta: TOC, TOC, TOC!!!! 
A MULHER abriu e encontrou um HOMEM de boa aparência à espera. 
(Na realidade tratava-se de um fotógrafo que vinha contrtado por uma família que queria fotografar a sua criança recém-nascida, mas que por um engano, errou no enderteço pretendido) 

E o seguinte diálogo seguiu-se: 

HOMEM: Bom dia! Eu sou... 
MULHER: Ah, já sei! Pode entrar. 
HOMEM: Obrigado. O seu esposo está em casa? 
MULHER: Não. Ele foi trabalhar. 
HOMEM: Presumo que esteja a par da minha vinda aqui?!... 
MULHER: Sim, o meu marido também já está a par de tudo. E, eu concordo . 
HOMEM: Óptimo. Então vamos começar 
MULHER: Mas já? Tão rápido... 
HOMEM: Preciso ser breve, pois tenho ainda 16 casas para visitar, ainda hoje. 
MULHER: Meu Deus! O senhor aguenta? 
HOMEM: O segredo é que eu gosto do meu trabalho, dá-me muito prazer! 
MULHER: Então vamos começar. Como faremos e onde você prefere? 
HOMEM: Permita-me sugerir: - Uma no quarto, duas no tapete, duas no sofá e, uma em pé ao lado da mesinha do telefone. 
MULHER: Mas serão necessárias tantas? 
HOMEM: Bem, talvez possamos acertar na mosca já na primeira tentativa. 
MULHER: O senhor já visitou alguma casa neste bairro? 
HOMEM: Não, mas tenho comigo uma variedade de amostras do meu trabalho e... (mostrou algumas fotos de crianças). 
- Não são lindas?? 
MULHER: Como são belos estes bebês! Foi o senhor mesmo quem fez? 
HOMEM: Sim. Veja esta aqui, por exemplo, foi conseguida na porta do supermercado. 
MULHER: Que horror! O senhor não acha muito público? 
HOMEM: Sim, mas a mãe queria muita publicidade. 
MULHER: Eu não teria coragem!!! 
HOMEM: Esta aqui foi no autocarro. 
MULHER: Incrivel!!! 
HOMEM: Foi um dos serviços mais difíceis que já fiz. 
MULHER: Claro, eu imagino! 
HOMEM: Esta foi feita no inverno, num parque de Diversões. 
MULHER: Credo! Como é que o senhor conseguiu? Não sentiu frio? 
HOMEM: Não foi fácil! Como se não bastasse a neve a cair, tinha uma multidão em volta.Quase não consegui acabar. 
MULHER: Ainda bem que sou discreta, e não quero ninguém a olhar. 
HOMEM: Óptimo, eu também prefiro assim. Agora, se me der licença, eu preciso armar o meu tripé. 

MULHER: Tripé?!!! 
HOMEM: Sim, pois o dito, além de pesado, depois de armado mede quase um metro.

MULHER: 
desmaiou... 

quinta-feira, 23 de julho de 2015

Deitou casa abaixo com retroescavadora sem dizer à mulher


Há histórias que são mesmo assim. Difíceis de entender até para quem as vive. É o caso de Diane Andryshak, uma moradora dos arresdores de Nova Iorque, que ainda não entendeu a razão que levou o marido a alugar uma retroescavadora e simplesmente demolir por completo a casa onde moravam. 

Casados há nove anos, a mulher nem queria acreditar quando ao regressar a casa, depois de um dia de trabalho, encontrou o terreno onde morava vazio. A casa estava reduzida a escombros.
«Nenhum dos meus pertences foi retirado. Estava tudo na casa. Estou em choque, continuo em choque», disse à estação WABC.

Construída em 1956, a casa tinha três quatros e uma casa de banho e estava avaliada em mais de 130 mil euros.
«Eu não sei o que aconteceu. Não sei nada. Eu sei que quando cheguei aqui ele já estava na esquadra. Nós não estávamos em conflito, não estávamos a discutir», disse a mulher.
  
O marido, James Rhein, alegadamente alegou uma retroescavadora e demoliu a casa, sem licença. A polícia acusou de injúrias e libertou depois de paga uma multa de mais de 250 euros. 

Sobre os motivos que levaram ao ato de loucura, a polícia disse aos repórteres que o casal estava a renovar a casa e que o homem terá dito que a casa estava num estado tal de desordem que não havia como a reparar.
«Eu perguntei-lhe a brincar se ele ia deitar a casa abaixo e ele respondeu que sim, mas pensei que estava a brincar», disse um dos vizinhos. 

quarta-feira, 22 de julho de 2015

terça-feira, 21 de julho de 2015

domingo, 19 de julho de 2015

sexta-feira, 17 de julho de 2015

O espião ...


quarta-feira, 15 de julho de 2015

Só para impressionar

Um americano, um inglês e um iraquiano estão a beber num bar. O americano bebe a sua cerveja e de repente, manda o seu copo vazio para o ar, puxa da arma e estilhaça o copo em pleno ar com um tiro certeiro. Depois olha para os assustadíssimos presentes e diz: 
- Na América os copos são tão baratos que nós não precisamos beber do mesmo duas vezes! 

O inglês, obviamente impressionado, acaba de beber a sua cerveja, manda o copo para o ar, puxa da arma e atira, espatifando o copo. Depois diz: 
- Nas Ilhas Britânicas temos tanta areia para fazer copos que nós também não precisamos beber do mesmo duas vezes! 

O iraquiano, até então impassível como um pepino, bebe os últimos goles da sua água mineral, manda o copo para o ar, puxa do revólver e atira no americano e no inglês. E diz: 
- Em Bagdad temos tantos americanos e ingleses que não precisamos beber com os mesmos duas vezes. 

segunda-feira, 13 de julho de 2015

Adolescente trabalha como ginecologista durante um mês sem ser descoberto


Um adolescente de 17 anos trabalhou como ginecologista num hospital, durante mais de um mês, sem que ninguém percebesse que não era médico. O caso aconteceu em West Palm Beach, na Florida, Estados Unidos. 
  
O rapaz só foi descoberto depois de se apresentar, juntamente com uma paciente, ao médico Sebastian Kent, que trabalhava na ginecologia e obstetrícia do mesmo hospital. O jovem esteve na sala, enquanto o doutor Kent examinou a paciente. 
  
«A primeira coisa que pensei foi que estava a ficar velho, porque estes médicos novos parecem cada vez mais jovens», relatou o doutor Sebastian Kent, citado pela estação de televisão WSB-TV.   
  
Ainda assim desconfiou e a segurança do hospital foi alertada e a polícia chamada. 
  
O hospital assegura que o rapaz «nunca teve contacto com nenhuma paciente, nem nunca teve acesso a nenhuma área de tratamento da unidade». 
  
«O hospital alertou de imediato as autoridades locais, que levaram o indivíduo sob custódia. Estamos a cooperar com a investigação», assegurou a unidade hospitalar de West Palm Beach, em comunicado. 
  
Até agora, nenhuma acusação foi formalizada contra o jovem. 

quinta-feira, 9 de julho de 2015

terça-feira, 7 de julho de 2015

domingo, 5 de julho de 2015

Caso patológico raro

O Ministro da Saúde visitava um hospital acompanhado pelo director. 
Ao passarem numa enfermaria deparam com um doente a masturbar-se furiosamente e o ministro pergunta o que se passa com o paciente. O director do hospital informa o Ministro de que é um caso patológico raro que implica que o paciente tenha de ejacular de 2 em 2 horas, porque senão os testículos ficam desmesuradamente inchados e podem rebentar. 

A visita continua e logo mais à frente, num quarto, deparam-se com uma enfermeira a fazer “oral” a outro paciente. O Ministro estupefacto pergunta o que aquilo significa, ao que o director responde, consultando a papelada: 
- Sr. ministro, na verdade é um caso absolutamente igual ao anterior, só que este doente vem pela Médis e não pela Segurança Social... 

sexta-feira, 3 de julho de 2015

A Viagem ...


quarta-feira, 1 de julho de 2015

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Mensagens populares

Recomendamos ...